Novas informações estudadas e filtradas na OMS – Organização Mundial da Saúde.

A genética contribui com o peso entre 40% e 70%. Há pessoas beneficiadas que podem comer até um boi e não engordam. São privilegiados.  Há vários genes da obesidade, sendo difícil controlar o aumento de peso. A pessoa já sai carimbada ao nascer. A orientação dietética deveria começar bem cedo com as crianças.

EXERCÍCIOS FÍSICOS NÃO EMAGRECEM. O que emagrece é o baixo consumo de energias. Mas os exercícios físicos ajudam a “regular o peso”.  Não adianta falar para um gordinho: faça exercícios físicos. Nada adiantará. Mas deveríamos falar: pare de comer errado. A vantagem dos exercícios físicos é a seguinte: músculo gasta muita energia. Quem tem músculo gasta energia até sem fazer nada. Gordura gasta também energia, mas muito pouco.

O caminho para o emagrecimento é a perda de 1kg por mês. Não funcionam perdas grandes como já comentado em outro texto. Depois de seis meses, deve-se manter o mesmo peso por mais seis meses para depois começar a emagrecer mais, se necessário. Aí se começa a adquirir hábitos novos.

Pesquisas mostram que emagrecer sozinho é uma grande barreira. O que tem funcionado é “emagrecer junto”, “emagrecer num grupo”. Funciona perfeitamente por causa do controle social. Basta a pessoa saber que está num grupo para agir mais racionalmente. Sozinha cai em tentação e num deslize vai tudo por água abaixo, principalmente porque vivemos num mundo “obesogênico”, isto é, onde por todos os lados encontramos doces, bolos, pudins e manjares. Ninguém agüenta a pressão.

A ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE tem a fórmula: PROIBIDO PROIBIR. Como o que engorda são calorias, pode-se comer o que quiser, tudo é livre. Se vai comer um PUDIM COM PÊSSEGO ou UM MANJAR COM AMEIXAS é bom saber quanto consumiu e controlar para não ultrapassar 2.000 calorias num dia ou um valor menor, conforme foi estabelecido para cada um.

PUDINS, MANJARES, BOLOS, CHOCOLATES, alimentos altamente calóricos, são muito gostosos. É uma espécie de droga. Eles injetam no sangue um neurotransmissor chamado DOPAMINA que manda ao cérebro sinais de recompensa, faz baixar o estresse. A “pessoa” fica numa boa sorrindo.  O chocolate tem resultado instantâneo.  A pessoa estava estressada, tensa. O estresse aumenta os nível de hormônio que dão fome e induz a pessoa a comer DOCES. E estes hormônios inteligentes mandam um ALERTA para que a gordura abdominal comece a acumular. 

Professor Ayrton